Código de ética e conduta: o que é e qual a sua importância? - Cucas
59249
single,single-post,postid-59249,single-format-standard,qode-core-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,pitch-ver-1.2, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,grid_1300,blog_installed,wpb-js-composer js-comp-ver-4.9.1,vc_responsive
código de ética e conduta

Código de ética e conduta: o que é e qual a sua importância?

É impossível enumerar os motivos que levam uma empresa a ser admirada e bem-sucedida. Essa percepção é construída com o tempo, considerando uma série de aspectos, que englobam desde a qualidade dos produtos e serviços que oferece à forma como se relaciona com a sociedade. Todos esses fatores representam sua prática de atuação e podem ser reunidos em um único documento: o código de ética e conduta.

Mais do que um simples manual, o código de ética e conduta descreve a essência da organização, detalhando seu propósito, princípios e valores, e traduzindo-os em regras de comportamento. É fundamental dar transparência a essas práticas, de forma que possam ser seguidas por diretores, colaboradores, fornecedores e parceiros, mas, também, para apresentar à sociedade qual é o papel social da companhia.

Mas, afinal, o que é o código de ética e conduta?
O código de ética e conduta é um documento que estabelece os princípios e as normas que definem as práticas de atuação de uma empresa. No dia a dia, serve como um guia de referência para todos os integrantes, fornecedores e parceiros da organização, aqueles que precisam tomar decisões considerando as atitudes previstas no código.

Podemos dizer que o documento delimita os parâmetros éticos e morais aceitos em uma determinada organização. Mas, afinal, o que é ética e o que é moral? Esses termos, muitas vezes, são usados como sinônimos, porque estão intimamente relacionados. Porém, é importante pontuar que estamos falamos de conceitos distintos.

Moral é o conjunto de atitudes e costumes estabelecidos e aceitos por uma sociedade ou por uma comunidade. A ética prevê uma reflexão sobre essa moralidade e, a partir dela, se define o conjunto de princípios e valores morais que orientam a conduta de um indivíduo ou grupo.

É importante diferenciar esses dois conceitos porque nem sempre um costume aceito por um grupo será considerado ético pelo indivíduo. A escravidão, por exemplo, já foi moralmente aceita na sociedade brasileira – essa prática, inclusive, era respaldada por leis que garantiam o direito de posse aos proprietários de escravos. Entretanto, muitos cidadãos consideravam antiético submeter outras pessoas ao regime de escravidão. E foram mais de 300 anos até que a escravidão fosse proibida no País e, hoje, podemos dizer que essa é uma prática imoral e antiética.

As empresas, assim como cada indivíduo, também avaliam e adotam princípios éticos e condutas morais que consideram corretos. Essa percepção é construída no cotidiano da organização, mas nem sempre ela está escrita no papel. Normalmente, o código de ética e conduta só é elaborado quando essas práticas já estão definidas e são aplicadas no dia a dia. Porém, é recomendado às empresas que façam essa reflexão desde os estágios iniciais do negócio, a fim de que os valores morais orientem a conduta de todos os públicos (interno e externo).

Quais são as vantagens do código de ética e conduta?

Promove o alinhamento de posturas
Os critérios sobre o que é ético e moral são, muitas vezes, subjetivos. Se esses valores e condutas não estiverem definidos, é possível que não sejam adotados e praticados por todos os indivíduos. É por isso que temos leis, que delimitam as posturas morais aceitas na sociedade.

Pela mesma razão, é importante que as empresas elaborem o seu próprio código de ética e conduta. Assim, todos os integrantes da organização, bem como parceiros, fornecedores, investidores e outros stakeholders, estarão alinhados e adotarão as mesmas posturas. Dessa forma, evita-se que cada um tenha a própria interpretação sobre questões morais e éticas, o que pode ser bastante prejudicial para a imagem da empresa.

Tem caráter educativo
No livro Ética na Gestão Empresarial, Francisco Gomes de Matos define o código de ética como a “expressão da cultura ética”. Segundo o autor, o documento “deve, com objetividade e clareza, orientar o que é recomendável e o que é inaceitável no exercício das atividades profissionais e na conduta como cidadão”.

Matos explica que o código possui um caráter fundamentalmente educativo, que se divide em três dimensões:

  • preventiva – estabelece diretrizes éticas educativas voltadas à prevenção de situações críticas;
  • corretiva – as diretrizes éticas adotam um cunho educativo-diagnóstico para identificar problemas com o objetivo de orientar e dar suporte às medidas de correção;
  • educativo-saneadora – propõe punições exemplares e tem o propósito de preservar a qualidade e a excelência da empresa.

Protege a empresa e os colaboradores

Desvios de conduta, dentro e fora do ambiente de trabalho, podem prejudicar a imagem da empresa; atingir colaboradores, parceiros, fornecedores e clientes; provocar danos socioambientais; e, não raramente, acarretar crimes, como corrupção, assédio moral, discriminação etc. E é responsabilidade da organização adotar medidas para inibir essas práticas.

Há uma série de recursos que podem e devem ser utilizados pela empresa com esse objetivo, como programas de compliance, formação de comitês de integridade ou governança, reformulação dos processos, gestão da cadeia de fornecedores, entre outros. Mas é o código de ética e conduta o documento que dará sentido e respaldo a todas essas ações.

O código descreve objetivamente os valores morais que guiam a organização, as condutas esperadas e as posturas inapropriadas e passíveis de punição. Uma vez que essas normas estejam estabelecidas e disseminadas, cada pessoa ou organização que se relacionar com a empresa assumirá o compromisso de seguir as regras determinadas.

Dessa forma, o código de ética e conduta se converte em um importante instrumento de proteção da empresa e dos colaboradores, pois reduz os riscos de desvios que possam ser prejudiciais à companhia ou aos trabalhadores. Em decorrência, há menor propensão de que a empresa enfrente processos e passivos judiciais, diminuindo, assim, prejuízos financeiros e de imagem.

É um instrumento de transformação social

Cada vez mais empresas se comprometem a gerar impactos positivos na sociedade. Para essas organizações, o código de ética e conduta ganha uma importância a mais: ele dá visibilidade às causas apoiadas e às ações que promovem a transformação social.

Uma empresa que assume, de forma enfática, o combate a problemas como homofobia, racismo, degradação ambiental, entre outros, converte a causa apoiada em um valor moral, que deve ser compartilhado por todos os seus colaboradores, parceiros e fornecedores. O código de ética e conduta é o instrumento ideal para propagar essa postura, engajando mais pessoas.

Consolida a cultura organizacional

Os valores éticos e morais de uma empresa, quando aplicados consistentemente no dia a dia, consolidam a cultura organizacional. O código de ética e conduta assume um papel importante na construção dessa identidade, porque alinha as posturas, fazendo com que todos se comprometam com as práticas descritas no documento.

Com valores claros e praticados cotidianamente, fica mais fácil preservar a cultura construída. Além disso, a empresa terá mais sucesso ao atrair e reter talentos ou nas parcerias firmadas com outras organizações. Afinal de contas, a tendência de que compartilhem dos mesmos interesses e posturas será maior.

Melhora o desempenho e a imagem da empresa

No final das contas, o código de ética e conduta é estratégico para que a empresa atinja os objetivos desejados, sejam eles econômicos, operacionais ou sociais. Isso porque o documento parte, justamente, dos pressupostos fundamentais do negócio, como a missão, a visão, os valores e os princípios que orientam suas práticas. Assim, todos os envolvidos seguem alinhados em busca de atingir os mesmos objetivos, favorecendo a chance de que a organização seja bem-sucedida em suas ações.

A prática cotidiana das normas previstas no código contribui, ainda, para melhorar a imagem e a credibilidade da empresa na sociedade e entre seus clientes, reforçando os laços de confiança construídos com a marca. Esse é outro ponto que leva a organização a ter um desempenho superior.

Para que todos esses benefícios sejam alcançados, o código de ética e conduta não pode ser um documento obsoleto. É essencial que as normas sejam propagadas não só na execução dos processos cotidianos, mas também por meio de ações específicas, como campanhas de cultura.

Precisa de ajuda para construir o código de ética e conduta da sua empresa? Ou você já tem um e quer disseminá-lo entre os colaboradores? Nos dois casos, os cucas podem te ajudar! Vamos conversar?



Cucas Conteúdo Chat
Conversar no WhatsApp